Vida: aquilo que passa enquanto estamos olhando o celular

Não são raras as vezes em que estamos em uma roda de amigos ou em qualquer outra situação do nosso dia a dia e percebemos alguém com o olhar desviado para a tela de um smartphone. Cada vez mais as relações humanas estão sendo intermediadas ou interrompidas pelo uso destes aparelhos que, muitas vezes, fazem com que ignoremos completamente quem está a nossa volta.

Preocupados com este problema crescente na sociedade moderna, a agência de publicidade McCann — em parceria com o dicionário Macquarie Dictionary — reuniu em maio de 2012, na Universidade de Sydney, uma equipe de especialistas em linguagem para criar uma palavra que representasse este novo cenário.

Foram dias de estudo e pesquisas até chegarem na palavra Phubbing, que é a junção das palavras phone e snubbing, que significa: esnobar alguém através do uso do telefone. Rapidamente a nova palavra ganhou fama e discussão mundial devido ao lançamento da campanha Stop Phubbing, realizada pela própria McCann que, ao mesmo tempo que conscientizou milhares de pessoas ao redor do mundo sobre o assunto, alavancou as vendas do dicionário atualizado com a nova palavra.

Macquarie “Phubbing: A Word Is Born” — McCann Melbourne

O tema polêmico também foi abordado pelo renomado artista de rua, Banksy, em um de seus murais em Bristol, no Reino Unido (imagem título). A imagem representa a cena de um casal se abraçando, porém distraído com o uso dos seus celulares, sugerindo que as relações entre as pessoas estão sendo ameaçadas pelo uso excessivo dos dispositivos.

Recentemente a palavra voltou em cena com o vídeo Stop Phubbing Around, criado pela Coca-Cola no fim de 2014. Em parceria com a agência Memac Ogilvy Dubai, UAE, a empresa mostrou, de uma forma emocionante, o que perdemos quando damos mais atenção às redes sociais do que à vida real.

Stop phubbing around — Coca-Cola

Os apelos de stop phubbing podem realmente tomar dimensões comoventes, mas não podemos esquecer o quanto a tecnologia dos smartphones nos trouxe benefícios fantásticos, e ironicamente, um conceito diferente de proximidade: poder falar diariamente com uma pessoa especial que agora reside no exterior, se atualizar constantemente das atividades de nossa família inteira ou até mesmo acompanhar na íntegra as viagens de amigos pelo mundo.

Colocando tudo em uma balança, a questão do equilíbrio sempre volta à tona: será que realmente não estamos dando mais tanta importância ao mundo a nossa volta? Se for mesmo, isso não é carma exclusivo de poucos, muito menos um problema com você (…) só um minutinho (…)

Me desculpem, era uma mensagem importante.

Comentários

comentários

Tags: No tags