Marisa Oliveira

Compartilhar no

Categoria:

Design

Protótipo x MVP x POC

O que são e quando usamos cada um desses conceitos

Quando buscamos definições para essas três belezinhas que dão o título a este texto, encontramos muito clubismo, como se houvesse (até) uma rixa entre os conceitos. Mas na verdade, não há (ou não há porque ter rs). Cada um é cada um e, por vezes, se encontram e se complementam, ao invés de se substituírem. Continue essa leitura para entender o que são: Protótipo, MVP e POC, numa visão wemística da coisa.

Tipo Protótipo

Depois de pesquisar, levantar hipóteses, coletar referências do que já existe, botar as ideias na mesa e tudo mais, chega o momento de prototipar; é basicamente criar um ou mais modelos de como seria o produto ou serviço em questão. E aqui vale tudo: pode ser desde um desenho no papel mostrando como poderia ser uma interface, até as mais belas telas elaboradas no Figma. Esse protótipo é testado em ambiente controlado, com pessoas cientes dessa fase de teste e não precisa, necessariamente, entregar valor nesse momento. Aqui neste link falamos um pouco mais sobre esse assunto.

Podemos dividir esses protótipos entre alta e baixa fidelidade: os de baixa são os mais simples, feitos para mostrar os aspectos principais da ideia que será desenvolvida (valendo até desenho no papel). E os de alta fidelidade são aqueles que além de considerarem a UI, ou seja, o visu da coisa, levam em conta também a experiência de quem vai usar, considerando fluxos, interações e tudo mais. 

Eu, você e o MVP

O famoso Minimum Product Viable - ou produto mínimo viável - é um conceito criado para entender (e provavelmente botar na rua) uma ideia, mas sem construir ela totalmente. Em outras palavras, é como fazer uma amostra do seu produto e, a partir disso, testar se há mercado para isso, se as pessoas gostam, se preferem que seja de outra maneira e assim por diante. Isso pode ser feito de maneira aberta, mas também pode ser apenas para beta testers ou insiders, que são as primeiras pessoas a acessar um determinado produto ou serviço e dão os primeiros feedbacks sobre isso. O MVP é essa amostra, esse mínimo que vai apoiar testes e trazer os primeiros resultados que vão indicar, inclusive, o que precisa ser aprimorado, o que dá certo e o que nem tanto... E assim, é possível dar passos com mais firmeza, sem precisar despender de muita energia para criar algo grandioso para lançar de uma vez só. Ou seja, uma beleza! Esse conceito inicia um processo gradativo de evolução que, assim, pode ser planejado e mensurado.  

POC nossa de cada dia

Proof Of Concept, ou prova de conceito, serve justamente para validar o conceito de uma ideia testando a viabilidade técnica da coisa. A Laís Gerólamo, que é UX/UI designer na casa, diz o seguinte: “Geralmente, isso é feito por Devs, para checar se algo ‘fica de pé’. Mas na weme, e também no mundo do design em geral, a gente usa como um teste de conceito mesmo, que é prototipar o conceito de uma ideia para coletar feedbacks iniciais. Porém, isso não chega a ser um teste de usabilidade em si, porque é mais macro.’”. Com isso, nessa POC, consideramos mais testar a ideia em si do que sua mecânica, suas configurações, fluxos. O que conta aqui é ver se realmente faz sentido desenvolver essa ideia.  

Cada um é cada um, mas todos trabalham para o todo

Então, podemos definir assim: o protótipo é uma ferramenta de testes. A gente constrói algo para testar em ambiente controlado, sem entregar valor para quem testa, porque é algo mais "fictício", como a Laís mencionou. A POC chega depois, para validar o conceito da ideia que está sendo desenvolvida, através da viabilidade técnica. E o MVP é o mínimo dessa ideia para botar no mundo, que pode e deve entregar valor para quem usa. É aplicado fora de um ambiente de teste, visando que essa pessoa já possa incluir isso em seu dia a dia ou atividade, por exemplo, validando essa entrega de valor.  

E a Laís ainda acrescenta dizendo que a POC geralmente é aplicada em protótipo, pois faz mais sentido testar nessa fase onde o conceito ainda é mais idealizado, não está tão sólido. Porém, se for algo bem simples, a POC pode ser feita sobre um MVP sim, para testar o conceito de uma funcionalidade nova, por exemplo. Mas realmente é mais comum usar a POC para fases onde as ideias estão quase prontas para se usar, porém sem funcionar plenamente para ser um MVP. 

Vale mencionar também que essa ordem em que os conceitos estão dispostos nesse texto não é necessariamente a ordem que os processos devem acontecer. Mas, quase sempre é assim! 

Se você está numa organização que precisa de uma ajudinha para rodar uma ideia, assista à gravação do weme talks: Do protótipo ao MVP.

Ou, ainda, conecte-se com a gente :)




👀  O que ler depois

Marketing Insights: como convertemos pesquisas em melhores tomadas de decisões? (+ kit de ferramentas para auxiliar nisso)

Marketing Insights: como convertemos pesquisas em melhores tomadas de decisões? (+ kit de ferramentas para auxiliar nisso)

Marisa Oliveira

Saber mais
Consultoria de Inovação: como escolher a melhor para sua empresa

Consultoria de Inovação: como escolher a melhor para sua empresa

Carolina Nucci

Saber mais
Venture design: o papel do design na jornada de venture building

Venture design: o papel do design na jornada de venture building

Marisa Oliveira

Saber mais

Que tal assinar nossa newsletter?

Nossos conteúdos são feitos pra quem não quer deixar de aprender mesmo na correria do dia a dia:

• Formatos curtinhos
• Curadoria de ótimas fontes
• Divulgação de eventos e conteúdos sobre inovação e design
• Quinzenalmente por semana pra não lotar sua caixa de entrada
• Feitos com muito amor 💜