Rui Lira

Compartilhar no

Prototipagem: pensando com as mãos.

O protótipo é um artefato usado há muito tempo em várias disciplinas para demonstrar o valor (e por vezes o rigor) de novas ideias e projetos.

Protótipo:
s.m.: Primeiro tipo; primeiro exemplar; modelo, padrão.
PRÔTOS (primeiro) + TYPOS (forma, figura, modelo)

Na história sempre encontramos diferentes formas de prototipagem. É um artefato usado há muito tempo em várias disciplinas para demonstrar o valor (e por vezes o rigor) de novas ideias e projetos. Nem sempre é o primeiro, mas normalmente é o modelo (ilustrativo) de alguma coisa. Na arquitetura e design industrial preferem chamar de maquete; Na sociologia e na antropologia preferem pattern — esquema, padrão constante — ; Na física, na química assim como na economia preferem chamar de modelo.

No contexto industrial e científico, o protótipo é um modelo fiel e rigoroso de um produto. Ele “permite avaliar de antemão um objeto — um edifício, um avião, um automóvel — do ponto de vista do equilíbrio volumétrico, do impacto estético, das propriedades aerodinâmicas.” (in O Futuro Chegou - de Masi, Domenico).

“O caminho se faz caminhando.”

No contexto do Design Thinking, o protótipo permite que você teste sua hipótese sem gastar tempo, dinheiro e outros recursos criando o produto completo.

O protótipo serve para validarmos conceitos de solução, mas principalmente para aprendermos ainda mais sobre o problema que nos propusermos a resolver e se nossas ideias são relevantes para o usuário. Por isso o protótipo é para ser feito de forma rápida e barata.

Isso ajuda a responder várias questões vitais, incluindo:
- “Temos certeza de que estamos resolvendo o problema certo?”;
- “Como nossa ideia atenderá às necessidades de nossos usuários e aliviará suas dores?”;
- “A nossa solução é tecnicamente viável?”.

Se as soluções antes imaginadas não estiverem boas o suficientes para o nosso usuário, jogamos tudo fora e começamos de novo. ;)

Como prototipar?

Existem várias formas de fazer isso. Depois de escolher qual ideia quer prototipar, defina como esse protótipo vai ser.
É um app? É um site? É uma história ou apresentação? É uma novo hardware ou maquete?

Está confuso e não sabe? Não tem problema!
Ponha a mão na massa e comece desenhando a sua ideia. Se for um grupo, cada um desenha individualmente. Desenhar vai ajudar a fazer escolhas coletivas. Assim que todos tiverem desenhado, juntem as ideias e comecem por escolher o que fica e o que sai. Quando escolherem, desenhem de novo ou escolham uma nova forma de prototipar.

Depois de escolher como quer tangibilizar as suas ideias você pode fazê-lo de várias formas. Normalmente um protótipo assume uma destas três formas abaixo:

No papel: Diagramas, Storyboards e Interfaces

A prototipagem rápida em papel é uma técnica que permite criar e testar interfaces ou processos com o usuário de maneira rápida e barata. É a forma mais óbvia de materializar uma ideia e você pode escolher diferentes técnicas para o fazer dependendo do objetivo.


A três dimensões: maquetes, legos e modelos físicos

Quando o resultado final é um produto físico, você pode usar uma ampla variedade de materiais para criar modelos para testes. Você pode usar papel, papelão, barro ou espuma, e também pode redirecionar objetos existentes ao seu redor para construir modelos físicos.
O objetivo de um modelo físico é trazer uma ideia intangível, ou esboço bidimensional, para um plano físico tridimensional. Isso permite testes muito melhores com os usuários e pode gerar discussões sobre o fator de forma da solução.


Role-Playing ou protótipo experiencial (simulação)

Tipo de prototipagem que é muito fácil e divertida de criar. Ajuda você a testar a sua ideia através da dramatização. Você pode aprender muito testando os papéis das pessoas durante uma encenação antes mesmo de sair do escritório.


P.S.: Todo o mundo sabe prototipar! Use as ferramentas que você já conhece e tem à mão. Não pense, só faça ;)

👀  O que ler depois

Intraempreendedorismo: o que é e suas características

Intraempreendedorismo: o que é e suas características

Aline Oliveira, Fernanda Machado e Nathália Conti.

Saber mais
Feedback ou Feedforward? Entenda a diferença entre os dois.

Feedback ou Feedforward? Entenda a diferença entre os dois.

Carolina Nucci

Saber mais
Por que os softwares de CRM falham?

Por que os softwares de CRM falham?

Aline Oliveira (Thu)

Saber mais

Que tal assinar nossa newsletter?

Nossos conteúdos são feitos pra quem não quer deixar de aprender mesmo na correria do dia a dia:

• Formatos curtinhos
• Curadoria de ótimas fontes
• Divulgação de eventos e conteúdos sobre inovação e design
• Uma vez por semana pra não lotar sua caixa de entrada
• Feitos com muito amor 💜