Carolina Nucci

Compartilhar no

Feedback ou Feedforward? Entenda a diferença entre os dois.

Em muitas empresas o feedback pode ser um momento que está mais associado a críticas do que a elogios. Aqui na weme eu conheci uma nova forma de fomentar a troca e conexão entre pessoas: o feedforward.

"Posso te dar um feedback?" :O

As pessoas invariavelmente têm uma ansiedade normal e compreensível por momentos de troca de informações e avaliações de performance com seus líderes e pares. Se, por um lado, queremos saber a visão de outras pessoas a respeito do nosso trabalho, por outro lado sempre há uma apreensão inerente ao momento de feedback. Muitas vezes, uma reunião de uma hora de feedback é o que define se seu ano inteiro foi bom ou ruim.

Enquanto que em muitas empresas o feedback pode ser um momento tenso, protocolar e que muitas vezes está mais associado a críticas do que a elogios, aqui na weme eu aprendi uma nova forma de fomentar a troca e conexão entre pessoas do time: o feedforward.


Por que o feedforward tende a ser mais proveitoso do que o feedback?


O feedforward é um processo diferente de avaliação e reflexão de interações entre pessoas e times. Vejo nele 4 diferenças fundamentais em relação aos feedbacks que dei e recebi em experiências anteriores e que acho essenciais para estreitar a relação entre times remotos:

  • O feedforward é uma via de mão dupla (ou múltipla): Em toda sessão de feedforward, todos têm a oportunidade de falar, pois é um processo de análise de todos os ângulos de uma mesma interação: seja uma dupla ou um time inteiro. Não há nenhuma superioridade entre líder e liderado - são todos parte de um time.
  • O feedforward pensa no futuro: A crítica pela crítica não vale nada pra ninguém - e, sinceramente, é muito fácil criticar sem pensar em caminhos de solução. O que tem valor é a crítica que olha para como melhorar futuro. Até a forma não violenta de comunicar ajuda: eu não falo o que eu não gosto, o que a pessoa errou ou o que é ruim: eu falo o que eu gostaria que fosse diferente. E, pra cada gostaria, há um "e se", uma sugestão propositiva de melhoria. Os melhores feedforwards são aqueles dos quais saímos com várias ações e caminhos para fazer diferente.
  • O feedforward aproxima e conecta pessoas: Ao criar um ambiente seguro para a troca de sentimentos e percepções, a aproximação entre as pessoas é certa. O feedforward é um momento em que podemos expor nossa vulnerabilidade e, quanto mais nos permitimos ser quem nós somos, mais as outras pessoas se encorajam a ser quem são também. Tudo isso cria relações mais verdadeiras. Aqui na weme é um momento pelo qual todos esperam e sempre saímos melhor do que entramos.
  • O feedforward contribui para produtividade dos times: Esse ritual, quando feito com frequência mensal, por exemplo, não deixa acumular questionamentos e incômodos como em feedbacks semestrais ou anuais e também é um momento frequente de reconhecer as pequenas vitórias e os pontos positivos de cada um. Com isso, a relação melhora a cada conversa e ele intensifica a transparência, a aproximação e a motivação do time.


Mas como funciona o feedforward na prática?

  • O objetivo do feedforward é refletir sobre você mesmo, sobre o time, sobre a organização, sobre a outra pessoa e sobre a relação entre vocês.
  • Os participantes têm um primeiro momento individual (5 a 10 min, a depender da frequência e da proximidade entre as pessoas) para escrever sobre a outra pessoa (ou sobre a relação entre vocês, sobre a empresa ou sobre um projeto ou time em caso de feedforwards em grupo). Dica: para deixar o silêncio do momento da escrita menos desconfortável, geralmente colocamos uma musiquinha enquanto estamos escrevendo (deixa o processo mais leve).
  • Cada comentário deve ser colocado em 1 post-it e deve ser clusterizado entre pontos que GOSTO (pontos positivos), pontos que GOSTARIA que fossem diferentes (pontos de melhoria) e, para cada GOSTARIA, é necessário ter um E SE como forma propositiva de pensar em pontos negativos com o viés propositivo de olhar para melhorias no futuro. ‍
  • O tempo é propositalmente curto para que o que é mais latente venha à tona - isso dá foco ao que mais importa e reduz as picuinhas.
  • Em seguida, cada pessoa compartilha seus pontos para a outra pessoa ou para o grupo e, ao fim do compartilhamento, todos podem comentar sobre o que foi compartilhado ou mesmo ir trazendo mais pontos ao longo da conversa.
  • Se feito com frequência (ou seja, não tem muita coisa acumulada pra falar), todo o ritual não costuma demorar mais que 30 a 40 minutos.‍
  • A imagem abaixo ilustra um pouco como fazemos aqui na weme (podemos fazer tanto com post-its físicos como com post-its digitais):



Exemplos de feedforward

Por que o feedforward é ainda mais importante agora?

Estamos há mais de 4 meses enfrentando as consequências da pandemia e do distanciamento social. Tanto pra quem nunca trabalhou de forma remota, como pra quem já está mais acostumado, de forma geral, todos estamos mais isolados e isso deixa as relações mais frias.

Uma consequência disso é o acúmulo de sentimentos (bons e ruins) que a gente não bota pra fora e compartilha. As trombadas de corredor não estão mais lá. Só vemos no dia-a-dia as pessoas mais próximas e o assunto principal quase sempre é trabalho. Vira e mexe, vem aquela mensagem no whatsapp mal interpretada, aquele áudio numa hora ruim, a pressão do momento, o desalinhamento em reuniões.

Tudo isso se intensifica com a distância e pode gerar atritos, mal entendidos e outras falhas de comunicação. Da mesma forma, os pontos positivos, os reconhecimentos e as vitórias podem ter menos força ou serem deixados pra "quando tudo passar".

Procrastinar conversas profundas é fácil (principalmente as mais difíceis) - mas não vale a pena. Guardar sentimentos nem sempre faz bem e, ao não compartilhá-los com quem precisa, perdemos a oportunidade de construir uma solução comum.

Pra mim, o feedforward tem sido um grande aliado da aproximação, da resolução de conflitos e dos reconhecimentos de cada pessoa que esteve junto comigo durante esses meses turbulentos. A cada feedforward, eu aprendo a ser uma líder e uma pessoa melhor.

É preciso atenção para sempre reconhecer as coisas boas, humildade para admitir os erros e coragem para encarar medos e incômodos de forma propositiva. É preciso quebrar a inércia, mas vale a pena. Uma vez que você começa, não pára mais.

É um ato de empatia. Com os outros e com você ♡

Bora marcar seu primeiro feedforward? A gente te dá uma mão:

👀  O que ler depois

Como fortalecemos o employee experience e a cultura no trabalho remoto

Como fortalecemos o employee experience e a cultura no trabalho remoto

Fernanda Futada

Saber mais
A importância do design no desenvolvimento de embalagens do presente e do futuro

A importância do design no desenvolvimento de embalagens do presente e do futuro

Daniele Brogliatto - Coordenadora de desenvolvimento de negócios na Suzano

Saber mais
O que a criação de novos medicamentos, o crescimento da Amazon e o sucesso da sua empresa podem ter em comum?

O que a criação de novos medicamentos, o crescimento da Amazon e o sucesso da sua empresa podem ter em comum?

Victor Fondello

Saber mais

Que tal assinar nossa newsletter?

Nossos conteúdos são feitos pra quem não quer deixar de aprender mesmo na correria do dia a dia:

• Formatos curtinhos
• Curadoria de ótimas fontes
• Divulgação de eventos e conteúdos sobre inovação e design
• Uma vez por semana pra não lotar sua caixa de entrada
• Feitos com muito amor 💜