Mauricio Bueno

Compartilhar no

Corporate Venture Building para grandes empresas

O Corporate Venture Building é a atividade que busca gerar novos empreendimentos e negócios para uma organização estabelecida através de empreendimentos internos (internal corporate venture) ou externos (external corporate venture).

A transição de eras e o Corporate Venture


A revolução tecnológica que estamos vivendo hoje está em sua infância. A força motriz dessa revolução, que é o desenvolvimento computacional, acelera com uma velocidade exponencial e traz mudanças constantes não apenas sob o ponto de vista tecnológico bem como uma reforma de toda a sociedade e das organizações.

Como defende a pesquisadora Carlota Perez, vivemos uma transição de eras. A transição de uma era enraizada nas tecnologias de produção em massa (incluindo o petróleo e seus derivados) para uma era da informação “inteligente” e tecnologias de comunicação que estão transformando todos os aspectos da sociedade.

Agora, começamos a perceber também como as mudanças dessa nova era, moldada pela digitalização, pela ubiquidade da conectividade e pela globalização estão viabilizando novos modelos e lógicas de negócio que desafiam o status quo, alterando de maneira radical e constante a própria natureza dos negócios e suas abordagens em torno da criação de valor para os clientes e usuários.

Nesse contexto, organizações estabelecidas estão enfrentando a ameaça de se tornarem obsoletas abrindo sua estratégia e desenvolvimento de inovação para aumentar as trocas com o ecossistema. O Corporate Venture é dos caminhos para se fazer isso. Aproveitando os melhores recursos da própria organização, de parceiros e do mundo das startups, o corporate venturing é a atividade que busca gerar novos empreendimentos e negócios para uma organização estabelecida através de empreendimentos internos (internal corporate venture) ou externos (external corporate venture).


Corporate Venture Building Interno


O Corporate Venture Interno consiste em estimular, fomentar e viabilizar, usualmente através de cultura, autonomia e recursos, que um indivíduo ou grupo de dentro da empresa assuma a responsabilidade de desenvolver um novo produto, levá-lo para o mercado e conduzir o negócio em suas fases iniciais de crescimento.

A Bosch por exemplo, tem um programa de aceleração voltado para iniciativas internas. Nesse programa, os intraempreendedores se desconectam de suas unidades de negócio para rodar suas iniciativas por cerca de um ano e tentar transformar isso em um novo negócio.

Entretanto, é conhecida a dificuldade que grandes empresas têm de integrar novos modelos de negócio em sua lógica de negócio atual. Mesmo, idealmente rodando fora das atividades de rotina, o Corporate Venture Interno se beneficia das competências de uma organização estabelecida mas sofre o ônus da inércia do negócio atual.

Exemplo de Corporate Venture Building interno



Corporate Venture Building Externo


No Corporate Venture Externo, as organizações se beneficiam da inspiração, conexão e relação com startups enquanto as startups aproveitam do conhecimento e capacidade de tração de uma grande organização.

Essa relação pode ser por exemplo uma POC (Proof of Concept). Quando uma startup usa a base de uma organização estabelecida para testar ou crescer seu produto: a Box Delivery, startup de logística de última milha, por exemplo, durante o programa de aceleração na, começou uma POC dentro da DHL e isso colaborou para a evolução do produto e aumento do valor do negócio da startup, e ao mesmo tempo levou o empreendedorismo e a solução de alguns desafios para dentro da DHL.

Iniciativas mais simples como hackathons e maratonas de empreendedorismo também são possibilidades para o Corporate Venture Externo.

Exemplo de Corporate Venture Building externo

Qual é a melhor estratégia de Corporate Venture Building?


Uma Estratégia relevante de Corporate Venture vai na direção de um modelo híbrido bem balanceado no qual combinam-se as potencialidades das startups e sua habilidade de explorar novas realidades e modelos. e das grandes organizações estabelecidas com suas capacidades de escala, capital intelectual e disponibilidade de recursos.

Ou seja, aquela que consegue combinar os esforços internos e externos.

Exemplo de Corporate Venture Building Interno e Externo

Pensando nisso, criamos um framework para você conseguir planejar o seu programa de corporate venture building. Você consegue acessar o arquivo logo ali embaixo. Ele ficou assim:

Framework para planejar programa de corporate venture building

Grandes empresas podem e devem se apoiar nos ecossistemas de inovação e empreendedorismo para se reinventarem e ao mesmo tempo trazerem todas as suas capacidades e competências para promover a evolução massiva de todo o sistema. Para isso, um bom projeto de Corporate Venture é um começo promissor para todos.





👀  O que ler depois

O que a criação de novos medicamentos, o crescimento da Amazon e o sucesso da sua empresa podem ter em comum?

O que a criação de novos medicamentos, o crescimento da Amazon e o sucesso da sua empresa podem ter em comum?

Victor Fondello

Saber mais
 5 atitudes para não banalizar o erro e aprender com ele

5 atitudes para não banalizar o erro e aprender com ele

Cecília Simões Varanda

Saber mais
O que é ESG e sua relação com a inovação

O que é ESG e sua relação com a inovação

Thu Oliveira

Saber mais

Que tal assinar nossa newsletter?

Nossos conteúdos são feitos pra quem não quer deixar de aprender mesmo na correria do dia a dia:

• Formatos curtinhos
• Curadoria de ótimas fontes
• Divulgação de eventos e conteúdos sobre inovação e design
• Uma vez por semana pra não lotar sua caixa de entrada
• Feitos com muito amor 💜