Em tempos cada vez mais complexos, aprender rápido e aplicar aprendizados relevantes na prática é um diferencial crescente para profissionais e organizações. 


Essa semana faço um ano de weme e acho que nunca aprendi tanto na vida como aprendo todos os dias aqui. 

Isso não é à toa: como um estúdio de inovação e empreendedorismo, faz parte do nosso dia-a-dia entender e interpretar constantemente esse novo contexto de mundo (que não tira o pé do acelerador e nem tem rota única no Waze) para conseguir impulsionar as organizações e as pessoas que constroem com a gente aqui. Não por menos, um dos valores da weme é #learnfast e isso está na essência de tudo o que fazemos aqui.

O que não é óbvio é a lógica por trás do aprendizado rápido e o como aplicar técnicas de aprendizagem ágil eficazes e consistentes com o tempo. Nesse artigo, vou compartilhar como respondemos a esses dois pontos junto com os principais hacks do método de aprendizagem dos wemers para você conseguir aplicar vários deles no seu dia a dia profissional e pessoal.

A lógica (e a ciência) da aprendizagem ágil para adultos

Quando somos crianças, basicamente tudo o que fazemos é aprender. Crianças são como esponjas: absorvem e aprendem com tudo à sua volta: assuntos diferentes, tópicos ligados ou não a sua rotina e até coisas que não queremos que eles aprendam, como aquele palavrão que você falou sem querer e seu filho escutou. 

No entanto, quando a gente cresce, apesar de parecer que a capacidade de processamento teve um aparente aumento, nosso rítmo em aprender coisas novas já não é mais o mesmo. Tanto pelo tempo como pelo cansaço e responsabilidades crescentes, os tópicos e momentos de aprendizado vão afunilando e o nosso pique de de aprender acaba diminuindo com o tempo. No meio desse contexto, acabamos nos enfiando em cursos de pós graduação e MBA como caminho de aceleração profissional, mas estamos tão cansados que muitas vezes absorvemos bem menos do que podíamos e acabamos esses cursos dizendo que foi bom pelo networking, mas que, no final, a prática do dia a dia ensina mais. 

Esse sentimento acontece por um motivo óbvio, mas pouco considerado pelos métodos tradicionais de ensino: apesar de muitas vezes acharmos que as formas de aprender são iguais para todos, as crianças aprendem de um jeito diferente de nós adultos. Nesse sentido, enquanto a pedagogia é a ciência que foca no aprendizado para crianças, a andragogia busca os melhores caminhos para aprendizagem de adultos. 

Aqui na weme, quando criamos a weme school (nossa escola de negócios), estudamos a andragogia a fundo e aplicamos seus principais conceitos tanto para aprender rápido enquanto organização, como também para compartilhar conhecimento em nossas experiências de ensino. A cada experiência que desenvolvemos, de workshops a projetos longos, levamos à prática esses 6 aspectos para aprender e ensinar rápido:

  • Necessidade: diferente das crianças, os adultos muitas vezes precisam de uma motivação para aprender. Quando minha filha nasceu e acordava de hora em hora, por exemplo, eu não poupei esforços para ler em poucos dias 5371479 conteúdos sobre como fazer o bebê dormir a noite toda. Todos nós já passamos por um momento assim: se o assunto não for algo que desperte nosso interesse ou necessidade, o conteúdo vai entrar por um ouvido e sair por outro. Por isso, aqui na weme, projetamos experiências de ensino que tenham conexão com os nossos desafios e necessidades assim como os dos nossos clientes.
  • Experiências prévias: Quando estamos em um curso, evento, ou mesmo em uma conversa ou reunião, gostamos de intervir contando uma história própria. Isso é natural do adulto: nosso processo de aprendizagem é muito mais eficiente quando é possível fazer a conexão entre o conteúdo e nossas experiências prévias. Por isso, boas experiências de aprendizagem permitem e incentivam esse tipo de troca entre participantes. 
  • Autonomia: vamos combinar, ninguém gosta de passar por um processo forçado. Aquele treinamento obrigatório, um processo ou regra que você não concorda parece descer atravessado. Nós adultos aprendemos muito melhor quando vivemos experiências que levam em consideração esse respeito à autonomia para tomada de decisão e auto gestão.
  • Aplicabilidade: A teoria é muito importante, mas só a prática transforma a mente de um adulto. Se aprendemos algo na teoria que não aplicamos de alguma forma na prática, o cérebro não sintetiza essa informação e não consegue criar uma relação de causa e efeito que demonstre utilidade - e o que não é útil cai no esquecimento. Por isso, boas experiências de aprendizagem consideram e incentivam atividades de síntese ou aplicação prática da teoria.
  • Permissão ao erro: Como o adulto precisa, ao mesmo tempo, conectar a teoria com experiências prévias e aplicá-la na prática para aprender de forma eficaz, o ambiente de aprendizado precisa  incentivar o compartilhamento e a exposição sem julgamentos ou repreensões. Ambientes assim repreendem o adulto e inibem completamente o processo de aprendizado.
  • Reflexão e feedback: De nada adianta aplicar os pontos anteriores se o aprendizado não permitir um momento de reflexão no final. Lembre que nós adultos gostamos de um motivo para aprender e espaço para contribuir: por isso, refletir no final sobre como foi a experiência de aprendizado, como esse novo conhecimento será útil e sugerir melhorias para os próximos fecha o processo com chave de ouro.

6 formas de trazer a andragogia para o dia-a-dia corrido

Depois dessa explicação sobre andragogia, você pode estar pensando: "muito bonita essa teoria, mas como aplicar isso tudo na prática?". Na vida real, todos nós continuamos com muita coisa pra fazer, muito problema pra resolver e pouco tempo (e energia) para estudar. Eu mesma tenho 2 cerejas no bolo dessa equação: sou mãe da Olívia (humana) e da Leia (cachorrinha). Com a rotina dupla entre trabalho e filhas, quando entrei na weme, eu tinha certeza: não vai dar pra acompanhar o ritmo frenético do pessoal aqui. Mas juro que deu - e ainda dá.


Além dos conceitos explicados acima, aqui na weme levamos um sétimo aspecto muito em consideração: o aprendizado tem que ser rápido e ágil. Já testamos e aplicamos concomitantemente diferentes formas de aprender para diferentes momentos, desafios e necessidades, tanto para os wemers como para nossos clientes. Separei nesse artigo as 6 formas que mais funcionam pra mim (lembre que eu tenho 2 cerejas no bolo na minha rotina) e vou compartilhar caminhos bem práticos pra você já aplicar no fim do artigo. 

1. Aprender no carro

Como boa japonesa, sempre amei estudar, ler livros, ver filmes e seriados... Mas depois que minha filha nasceu, o tempo ficou mais apertado e eu precisei ficar mais criativa no tempo e momento dedicado ao estudo - e esse momento foi meu tempo no carro. Atualmente eu passo, em média, de 2 horas no carro por dia. Desde que entrei na weme, direcionei essas 2 horas para estudar temas de inovação e marketing que precisava assimilar ou aprimorar rápido. No carro, eu estudo com 3 tipos de conteúdo:

  • Audiobooks: eu recomendo muito o Audible. Tem muitos livros sensacionais de negócios (todos em inglês - então me ajuda a manter a língua viva na cabeça) e consigo ler 1 livro por semana (numa semana boa).
  • Podcasts: Eu sempre ouvi podcasts, mas nunca voltados para o trabalho. Quando entrei na weme, busquei podcasts mais ligados ao que precisava estudar sobre inovação e empreendedorismo. Entre os que eu mais gosto está o Masters of Scale, feito pelo Reed Hoffmann, fundador Linkedin. Em episódios de 30 min, ele conversa com seus amigos do Vale (tipo Mark Zuckerberg e afins) para compartilhar aprendizados e conselhos dos líderes das empresas contemporâneas mais incríveis de forma descontraída e rápida.
  • Áudios de palestras: Como nem sempre consigo ficar nos eventos da weme à noite ou em outros lugares e horários, sempre que tem uma palestra que eu ver eu peço pra alguém gravar o áudio e eu escuto no carro. Só do Maurício Bueno, um dos fundadores da weme, eu tenho uns 5 áudios que eu escuto constantemente (inclusive essa foi a forma com a qual eu aprendi muito a melhorar meus conteúdos em palestras da weme). Eu já o ouvi tanto que eu o apelidei de "meu amigo do carro". :)

2. Curadorias de conteúdos

A cada dia que passa, a internet tem mais e mais conteúdo fenomenal que eu não consigo nem ter tempo de pesquisar - quem dirá ler. Mas, felizmente, tem um monte de gente que dedica tempo escolhendo os melhores conteúdos para assuntos que são do nosso interesse. Essa curadoria de conteúdo é muitas vezes materializada em boas newsletters. A newsletter boa, pra mim, é aquela que não é tão frequente (1 por semana eu acho bom), que faz uma boa seleção de conteúdos relevantes da semana e já dá um bom resumo no corpo do e-mail (para os dias em que eu não tenho tempo de clicar e ler conteúdo por conteúdo). Toda semana, religiosamente, eu abro o e-mail de 4 newsletters:

  • Gartner for Marketers: Essa newsletter traz ótimos conteúdos de tendências e benchmarks em marketing no mundo todo. A frequência é um pouco alta, mas sempre vale a pena. 
  • GrowthHackers.com: Referência em growth, sempre acho nessa news um conteúdo sobre alguma dica interessante para testar no nosso processo de growth interno.
  • Strategyzer: Essa é uma news que compartilha vários tipos de conteúdos sobre inovação e ferramentas de métodos contemporâneos. Sempre é útil!
  • Newsletter da weme: Deixei o melhor para o final :). Não é puxar sardinha interna, mas a nossa news é bem legal. A Nathalia Conti, nossa incrível content maker, passa a semana compilando os melhores conteúdos que estudamos e compartilhamos na weme e faz um resumo bem leve e direto do que realmente importa. Além disso, é na nossa news que divulgamos nossos eventos, nossos cursos e nossas dicas do dia-a-dia de weme. Bora assinar e ver pra crer? É só clicar aqui.

3. Webinars

Webinars, junto com os podcasts, são as formas mais rápidas de aprender temas específicos com alguma profundidade. Tento ver 1 webinar de 30 a 40 min por semana após minha filha dormir - mas só vejo se é um tema em que eu quero mesmo me aperfeiçoar. Nesse caso, eu sempre busco de acordo com o tema que eu quero estudar, mas tenho algumas fontes que eu busco constantemente: Gartner Webinars, Strategyzer, IDEO, Hubspot, Board of innovation, Harvard Business Review e, é claro, os webinars da weme

No nosso caso, desenvolvemos nossos webinars com frequência média quinzenal e sempre buscamos trazer temas que estão em alta e bem em linha com o que as grandes empresas têm buscado sobre inovação. Modéstia a parte, vejo como forte dos nossos webinars o poder de síntese e tradução de temas da moda em ações concretas para as organizações e seus profissionais aplicarem rapidamente. Você pode consultá-los nesse link: https://www.weme.com.br/webinars


4. Eventos e cursos curtos

Cada vez mais, temos menos tempo para dedicar a uma pós-graduação ou MBA. Além disso, como as tendências e novos conceitos e métodos estão surgindo a todo momento, muitas vezes o que queremos aprender nem chegou na ementa de muitos desses cursos mais extensos. Por isso, quando eu posso me dedicar um pouco mais, é sempre no máximo 1 semana, que eu invisto em:


  • Eventos: Tem muitos eventos incríveis de diversas áreas. Nós wemers nos revezamos para comparecer aos eventos mais relevantes de inovação do mundo. Sempre tem um time nosso no SXSW ou no Web Summit, por exemplo. No meu caso, além dos eventos de inovação, eu busco muitos eventos de marketing e vendas (como o RD Summit, Inbound e outros) e também os próprios eventos da weme. Toda semana temos uma seleção de eventos nas diferentes cidades em que atuamos (Campinas, São Paulo, Floripa, Ribeirão Preto e Uberlândia) justamente para compartilhar de forma rápida o que aprendemos com a nossa rede e com a comunidade. Dá uma olhada nesse link pra ver o que preparamos pra você: https://www.weme.com.br/#eventos-weme
  • Cursos curtos: Em formatos que variam de 1 dia a 2 semanas, há várias formas de se aprofundar em um tema que faça sentido para sua carreira profissional. Quando eu estava em busca de um curso rápido para aprender mais sobre inovação, eu conheci a weme (como cliente e não como wemer) através do Scale You Up, programa executivo da weme de 6 dias que é praticamente um banho de loja sobre inovação, tecnologias exponenciais e modelos contemporâneos de gestão. Em pouco tempo, eu me situei em vários temas relacionados e acabei tomando a decisão de me aprofundar (e agora estou aqui rs). Brincadeiras à parte, projetamos experiências de ensino 100% pautadas na andragogia e desenvolvidas para transformar seus participantes através de modelos e competências de inovação. Se você quer se desenvolver em competências de inovação, certamente vai achar opções incríveis aqui: https://wemeschool.com.br/

5. Cultura de compartilhamento constante

Muitos estudos indicam que a forma mais profunda de aprendizado se concretiza quando você ensina ou determinado conteúdo para alguém. Por isso, além de aprender rápido, o segredo da weme está em aplicar e compartilhar rápido o que aprendemos. 

Aprendi aqui que cultura é resultado e a nossa cultura de compartilhamento reverbera em 3 práticas constantes e orgânicas:

  • Produção de conteúdo: todos os wemers produzem conteúdos mais ou menos densos de forma frequente. Compartilhamos tudo o que aprendemos nos artigos e webinars que fazemos para nossa rede, toda semana aparece o convite de alguém na agenda reservando um horário para compartilhar um aprendizado relevante de algum projeto ou evento e sempre produzimos conteúdo para aplicar em nossos projetos.
  • Rituais de compartilhamento: Temos várias reuniões de time diárias (dailys) e semanais (weeklys) que possuem sua rotina própria de compartilhamento constante. Mas o momento que mais me encanta é o da nossa reunião geral. Religiosamente todas as 6as feiras às 14h, nosso time inteiro (presencial ou virtualmente nas nossas 5 unidades) se reúne para contar o que aconteceu na semana e o que está por vir. Mas o segredo desse ritual está em quem cria o conteúdo: a cada semana, um wemer é o responsável por conduzir a geral. Um dia antes (ou seja, na 5a feira), essa pessoa compartilha o link da apresentação no Google Apresentações e a criação do conteúdo da reunião é feita de forma colaborativa. Esse ritual simples faz com que todos participem de alguma forma e a pessoa que vai conduzir sempre traz um #learnfast pra compartilhar com o time. É o melhor momento da semana na weme <3.


6. Maratonas de aprendizagem - a experiência mais incrível de todas

Achei melhor reservar o melhor por último! :)

Aqui na weme, descobrimos na prática que o resultado de um projeto é sempre tão melhor quanto a pessoa com o menor nível de conhecimento ou engajamento no time. Por isso, sempre que temos uma necessidade de aprendizado rápido para um projeto ou iniciativa específica, aplicamos com o time uma experiência que equivale a uma maratona de aprendizagem. Consolidamos nessa maratona todos os conceitos e técnicas de aprendizagem ágil citadas acima e, com ela, conseguimos trazer todos os envolvidos para o jogo com conhecimento alinhado e nivelado


  • Pra começar, essa jornada sempre parte de uma necessidade, que varia desde a capacitação rápida de um novo colaborador sobre o contexto da weme até o nivelamento de conhecimento dos participantes sobre inovação e modelos contemporâneos antes de um projeto interno ou externo. Essa necessidade dita o ritmo da maratona e os assuntos que nela serão aprofundados.
  • Essa jornada dura de 1 a 2 semanas, dependendo da profundidade, nível de urgência e dedicação do time. A cada dia, um conteúdo rápido e relevante é compartilhado em uma plataforma interativa com o time e cada participante tem 24h para entender e aplicar o aprendizado em um desafio simples que busca conectar o que a pessoa absorveu do conteúdo com sua experiência prévia.  
  • Acreditamos que aprender é uma escolha. Por isso, o ritmo da maratona respeita a autonomia da pessoa: ela pode ler e realizar os desafios a qualquer momento do dia. Mas também faz parte do jogo dar incentivos para que o time continue motivado para cumprir com cada atividade no prazo até o final.
  • Para quem participa, é muito importante chegar ao final da maratona com a sensação de dever cumprido. Por isso, o final da jornada sempre proporciona formas de refletir sobre a evolução do aprendizado através de evidências claras e momentos de troca.

A cada maratona, a sensação de crescimento profissional é enorme, assim como a motivação por aprender tão rápido algo útil de forma leve, próxima e divertida. Já participei de algumas dessas maratonas na weme e, além de sentir que hoje eu ganho pra aprender coisas novas e relevantes todos os dias, eu sinto também que aprendi a aprender nesse contexto de mundo.


Maratona digital de inovação - da weme para o mundo \o/

Essa capacidade de aprender rápido tem sido cada vez mais essencial. Nesse nosso mundo VUCA cada vez mais imprevisível, está cada vez mais difícil saber como acompanhar essas mudanças - afinal, novos desafios estão surgindo e a fórmula para resolvê-los não é mais a mesma. 

Esse jeito ágil e eficiente de aprender a aprender é a base em que a weme se apoia para interpretar e se reinventar constantemente em cenários mais dinâmicos - tanto internamente como em colaboração com nossos parceiros. 

Nas últimas semanas, um novo contexto ainda mais desafiador se apresentou para todos nós. Diante disso, acreditamos que aprender e se reinventar rápido pode ser um caminho para contornarmos os desafios que estão por vir. Mas nessa jornada de aprendizado não construímos sozinhos: acreditamos que toda mudança começa por pessoas e que o poder de conexão entre elas é capaz de transformar o mundo. 

Por isso, encontramos uma forma de compartilhar com mais pessoas nosso jeito de aprender a inovar. Topa vir com a gente? Se sim, pode clicar aqui nesse link e seguir com a gente nessa maratona que vamos lançar amanhã!

Bora aprender a aprender juntos? <3